quarta-feira, 7 de novembro de 2012

NÃO SEI DESENHAR MAQUETAS PEQUENAS! I DON’T KNOW HOW TO DESIGN SMALL LAYOUTS!


Bem procuro estudar os trabalhos de bons modelistas com traquejo em maquetas pequenas e acabo sempre por desenhar coisas enormes. Há algo que me escapa.
Já entendi que os modelistas mais avançados constroem as suas próprias agulhas para resolver problemas concretos. Eu não me sinto preparado para as construir, uso as dos fabricantes mainstream.
Também já entendi que muitas maquetas pequenas, são-no porque no fundo não passam de dioramas com um pequeno troço de linha sem nada interessante a acontecer; dão belas fotos, mas em vídeo são tolices. Apetece perguntar se valeu a pena o trabalho. Para isso prefiro as pizza-layout que não escondem o que são: meros exercícios com algum humor, onde o comboio não vai a lado algum.
 Os trabalhos que me chamam a atenção e com os quais procuro aprender, são os que em pouco espaço conjugam os dois aspectos que me fascinam no modelismo ferroviário: um belo cenário e capacidade para executar manobras com alguma verosimilhança.
A abordagem britânica em que o comboio surge de um túnel e entra de imediato na estação poupa espaço, mas sabe-me a pouco. Acho que deve ter um percurso de paisagem até parar. E aqui reside o meu problema principal. Gasto sempre mais 1/3 para representar um percurso.
Projectar uma maqueta exige muita prática, que se adquire construindo muitas. Por isso sugiro que se construam várias maquetas pequenas, mesmo pizza-layouts para ganhar experiencia, aprendendo com os erros e com as coisas bem-feitas.
Algumas coisas que são óbvias mas gostaria de mencionar
O comprimento das vias deve equivaler ao somatório dos veículos mais longos que se pretende usar numa composição.
Há que prestar atenção ao gabarit para se visualizar o comprimento útil para estacionamento. Há o ponto de colisão onde dois veículos se tocarão e há a margem de segurança para compensar imprecisões de parqueamento. Depois de inseridos estes dados, é surpreendente como a extensão de via útil encolhe.
 
I do study the small layouts works of great modellers, but always end up designing huge things. There’s something I’m not getting.
I understand that advanced modellers can build their own turnouts, suiting their needs whilst I just use ready-made.
I also understand that some small layouts are just beautiful dioramas with a short stretch of track and nothing interesting happening in spite of the banality of branding as entertaining; they make wonderful photos, but if we see them in video they’re just dumb. One wonders if it was worthwhile the time spent. I rather prefer pizza-layouts, they’re more honest: mere exercises with a pinch of humour, the train admittedly going nowhere.   
The works I like must have and use for my apprenticeship are the ones that conjugate a good scenery and   interesting shunting with a minimal credibility.
The British style where the train just pops out form a tunnel to stop at the station saves a lot of space. I need to represent a stretch of track through the landscape until arriving to destination. There lays my problem, I always need an extra 1/3 of length for that purpose.
Designing layouts requires a lot of practice one acquires by building many. That is why I suggest  to build many small layouts , including pizza-layouts to gain experience and learn with the mistakes and the things well done.
Some things that are obvious but I’d like to mention:
The length of the parking track should equal to the sum of the number of the longer vehicles intended to use in a train.
Must pay attention to the gabarit in order to visualize the real usable track length. There’s the collision point, where two vehicles will touch each other and there is the safe margin to compensate imprecision in parking safely.  When this is taken into consideration, it can be surprising how shortened the parking track becomes. 


















Depois é o teste final, saber se o traçado será interessante. Já existem programas de desenho que incluem simulação animada do movimento.
Then is the final test to check if the layout arrangement is interesting. There are design programs that can make an animated simulation of the movements.