sexta-feira, 29 de maio de 2015

Lx35 -PART 10

Este projecto está parado, não só pelas razões apontadas antes - ter de construir todos os edifícios de raiz - como se está a tornar claro que o conceito de micro-módulos, apesar de muito conveniente exclui a característica mais proeminente dos eléctricos da Carris: a maior parte do traçado é a subir e descer Colinas. Não abandonámos os micro-módulos, só que estamos a ser "empurrados"  para uma abordagem mais complexa, implicando uma sequencia rígida para os módulos. Isto é, para representar a característica mais marcante, teremos módulos a subir e outros a descer. Além disso gostaríamos de replicar ruas estreitas, por vezes com sentido único ou trechos com transições de via dupla para via única como acontece na carreira 28.
A nossa experiência com as normas G160 que criámos há uns 18 anos aponta-nos uma solução. Nelas acrescentámos o conceito de continuidade de paisagem.
No caso das normas Lx35 teremos de acrescentar ao habitual normativo do ponto de encontro dos carris no plano horizontal, a cota de altitude.  Os módulos tornam-se rígidos, só podendo ser montados numa sequência, mas sendo tão minúsculos e não se antevendo uma adesão em catadupa, será sempre fácil de transportar todos os módulos para exposição ou sessões privadas. Não se pretende ter uma maqueta enorme, apenas uns quantos módulos que representem de forma generic, mas reconhecível a beleza de Lisboa.  
//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
This project "stalled", not only for the reasons previously pointed out - the need to scratch build all buildings - but also because it is becoming clear to us that in spite of being an interesting size, the micro-modules the way we built to test leave out the main feature of Lisbon trams: going up and down hills, winding through narrow streets, sometimes changing from double track to single track to fit in some streets dating from the XVIIIth. century.
Our experience with the norms G160 we designed almost 18 years ago, come to mind. There we added to the concept a landscape continuity.
So for the Lx35, besides the usual norms to regulate the meeting point of the tracks in the horizontal plane, we'll have to add the "altitude". Connecting the modules will only work on a rigid sequence, but they are so tiny and light and were not willing to build a huge layout, transporting all modules to an exhibition or for private sessions is not going to be a logistic headache.
Our goal is to keep the layout small, the size enough to have a generic representation of beautiful Lisboa